• Português
    • English
  • João Pessoa, PB - 3 a 5 de novembro de 2020

    Indústria 4.0

    Palestras


    Nair Maria Maia de Abreu (UFRJ)

    Palestrante: Nair Maria Maia de Abreu (UFRJ)

    Resumo: em breve.

    Bio: em breve.

    On Benders decomposition (Alysson M. Costa, Universidade de Melbourne)

    Palestrante: Alysson M. Costa (Universidade de Melbourne, Austrália)

    Abstract: Benders reformulation projects a model into a subset of its variables, creating a problem with an exponentially large number of constraints. Benders decomposition relaxes this large model and iteratively generates the constraints until a proven optimal solution is found. In this talk, I will present an overview of the Benders technique, highlighting the basic theory behind the reformulation, ideas for an efficient implementation of the decomposition and recent advances on the method.

    Bio: Alysson M. Costa tem graduação e mestrado em Engenharia Elétrica pela UNICAMP. Seu doutorado, realizado na Universidade de Montreal entre 2002 e 2006, recebeu o Cecil Graham Doctoral Dissertation Award, premiação anual que escolhe a melhor tese canadense em matemática aplicada e industrial. Retornando ao Brasil, foi pesquisador visitante no Instituto de Informática da UFRGS em 2007 e professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP entre 2008 e 2013. Desde 2014 é professor na Escola de Matemática e Estatística da Universidade de Melbourne, onde desenvolve pesquisa em programação inteira-mista.

    Fernando Bozza (Fiocruz) e Silvio Hamacher (PUC-Rio)

    Palestrantes: Fernando Bozza (Fiocruz) e Silvio Hamacher (PUC-Rio)

    Resumo: em breve.

    Bio Fernando: Graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (1987), Mestrado em Ciências Biológicas (Farmacologia e Terap. Experimental) pela UFRJ (1994) e Doutorado em Biologia Celular e Molecular pela Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ (2004). Pós-Doutorado na University of Utah (2008). Atualmente é Pesquisador Titular da FIOCRUZ e Chefe do Laboratório de Pesquisa Clínica em Medicina Intensiva do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas -INI/ FIOCRUZ. Atua também como coordenador de pesquisa em Medicina Intensiva do Instituto D’Or de Pesquisa em Ensino (IDOR) e coordenador do Laboratório de Inflamação e Metabolismo (Lab20) do INCT de Biologia Estrutural e Bioimagem (INBEB). Membro do Comite Executivo Rede Brasileira de Pesquisa em Medicina Intensiva (BRICNet) e da International Severe Acute Respiratory and Emerging Infection Consortium (ISARIC). Na base Scopues tem Indice-H 42, com 170 documentos e 5486 citaçoes.

    Bio Silvio: Silvio Hamacher é professor associado III da PUC-Rio, onde ingressou em 1996. Seu envolvimento com a Pesquisa Operacional iniciou-se no seu mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991) e doutorado em Génie Industriel pela Ecole Centrale Paris (1995), ambos abordando modelagem em programação matemática. Até 1996 trabalhou como Analista de Pesquisa Operacional na Petrobras, tendo participado e coordenado vários projetos ligados à cadeia de petróleo. Desde 2001 tem atuado na Sociedade Brasileira de Pesquisa Operacional, como presidente (2015-206), diretor-tesoureiro, vice-presidente e membro do Conselho Fiscal. Em 2018 organizou o 50o. SBPO. É Editor Associado da Revista Pesquisa Operacional Suas principais linhas de pesquisa envolvem a aplicação de técnicas de Pesquisa Operacional na resolução de problemas de Energia, em especial da cadeia de petróleo, e em Saúde, liderando dois grupos de pesquisa no CNPq nestes temas. Exerce a função de Gerente da Área de Apoio a Decisão e Supply Chain do Instituto Tecgraf, da PUC-Rio.

    Evolução das Soluções e Experiência de Roteirização na Loggi

    Palestrantes: José Carlos Maldonado (ICMC-USP) e Gabriela Surita (Loggi)

    Resumo: A Loggi, estabelecida em 2013, é uma das Unicórnios no Brasil, com soluções inovadoras e relevantes na área de logística, com forte base em tecnologias digitais. A Loggi tem se posicionado, de maneira inédita, para ser a solução de logística, facilitando o crescimento de um novo comércio no Brasil, com economia, agilidade e confiabilidade. O setor logístico brasileiro ainda tem muito a melhorar quando comparado com as grandes economias mundiais. Até 2021, o objetivo é conectar todos os brasileiros, cobrindo 100% dos municípios, com custos e prazos adequados. A etapa de last-mile corresponde ao maior custo de transporte em cadeias de distribuição com alta granularidade. Modelos eficientes para roteirização de veículos de last-mile são um elemento central de cadeias logísticas eficientes. Nesta palestra dar-se-á uma visão geral dos objetivos, das atividades e das soluções da Loggi Tecnologia Ltda, das perspectivas futuras nesse contexto e a perspectiva de cooperação da Loggi com a academia. Apresentamos um caso de estudo sobre a história e evolução das soluções de roteirização para last-mile aplicadas na Loggi, que culminou em uma solução estocástica e dinâmica para grandes problemas de roteamento de veículos. Esta que foi a solução vencedora do primeiro programa de “Ciência de Dados para Todos” (Data Science for All, ou DS4A, pela sigla em inglês) desenvolvido pelo  SoftBank Group International e Correlation One. 

    Para saber mais sobre a Loggi, acesse: loggi.com/venha

    Bio José: Atua na Loggi Tecnologia como Coordenador da Relação com a Academia. Professor Titular em Engenharia de Software e Diretor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP, 2010-2014). Professor Sênior no ICMC-USP (a partir de março de 2016) e Professor Emérito do ICMC-USP (desde março de 2020). Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Engenharia e Tecnologia Espaciais pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (1983) e doutorado em Engenharia Elétrica – Computação e Automação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (1991).Tem interesse em Engenharia de Software, atuando principalmente nos seguintes temas: teste de software, educação em engenharia de software, engenharia de software experimental, sistemas embarcados críticos, e ambientes e métodos de ensino. Já publicou mais de 70 artigos em periódicos e mais de  duas centena de artigos completos arbitrados, além de 03 livros e mais de uma dezena de capítulos de livros. Coordenou e participou de dezenas de projetos de pesquisa financiados por agências de pesquisa. Coordenou o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC), financiado pelo CNPq/CAPES/Fapesp.Título de Livre-Docente da USP (1996). Vice-Diretor do ICMC-USP (2007-2010). Presidente da Sociedade Brasileira de Computação SBC (2007-2009; 2009-2011); foi Diretor de Educação da SBC (97-99), Membro do Conselho da SBC (1999-2003; 2011-2015; 2017-2021), Vice-Presidente da SBC (2003-2005; 2005-2007). Presidente da SBC 2007-2011. Membro do CA-CC/CNPq (2006-2009; 2015-2018); adjunto da Área de Computação da CAPES (2004-2007; 2007-2010, 2018-2022). Membro da Coordenação de Área da FAPESP (2006-2013). Recebeu vários prêmios e homenagens, destacando-se: Prêmio de Mérito Científico 2017 da SBC – Sociedade Brasileira de Computação, Comenda do Mérito Científico 2008 e Prêmio Jabuti 2008 de Ciências Exatas, Ciências e Tecnologia (terceiro lugar).

    Bio Gabriela: Gabriela de Castro Surita é formada em Engenharia de Computação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em 2018 e é mestranda no programa de Engenharia Elétrica com ênfase em Computação pela mesma universidade. Atualmente atua como Gerente de Engenharia na Loggi, coordenando uma equipe de desenvolvimento centrada em soluções de roteirização e desenho de malha logística. Membro da equipe vencedora com o “Projeto de Otimização de Rotas de Last-mile” do primeiro programa de “Ciência de Dados para Todos” (Data Science for All, ou DS4A, pela sigla em inglês) desenvolvido pelo  SoftBank Group International e Correlation One.